Azul da Cor do Mar de Marina Carvalho



      O livro Azul da Cor do Mar de Marina Carvalho foi a indicação da leitora do blog Samara Partichelli Pereira, que foi uma excelente indicação, demorei para escrever sobre devido ao tempo livre que estava curto, mas finalmente estou aqui hoje para isso.


      A história gira em torno de Rafaela que é estudante de jornalismo na PUC-Minas, 21 anos, a maior estabanada da terra e iniciando estágio no jornal Folha de Minas que é o maior jornal do Estado – para sorte ou azar da vida dela – onde ela ganha muita experiência das melhores até as piores. No início do livro conta sobre uma paixão oculta que Rafa ten desde nova por um desconhecido e que através de um diário ela escreve para esse alguém que usava mochila xadrez e tinha os olhos azuis da cor do mar, isso no verão de 2001 quando ela estava prestes a completas 11 anos, nos próximos capítulos a história muda para seu último ano de faculdade e a fase do estágio.

      No estágio ela descobre Bernardo um cara que não aceita estagiárias e carrancudo, porém também descobre Marcelo um bonitão, querido e atraente, mas quem que ela se apaixona na história? Óbvio que pelo mal humorado do Bernado, pois nós mulheres somos complicadas mesmo. Após descobrir que todo aquele ódio de ambos era uma paixão avassaladora, cheia de desejos e curiosidades eles resolveram tentar um relacionamento que tiverem alguns altos e baixos. Na história em momentos diferentes ao longo do livro ela caí, tropeça, é sequestrada e de tudo um pouco acontece na vida dela como estagiária, porém foram essas situações que foram abrindo os olhos dela e de Bernardo quanto aos sentimentos um pelo outro.

      Não quero contar o final do livro para não perder a graça a quem for ler, mas quando ela decide esquecer o menino dos olhos azuis ela o encontra e é um final muito legal e inesperado. Somente tive UMA DECEPÇÃO ao ler o livro que foi na página 262 onde a personagem que de fato dominaria a língua portuguesa diz que ESFUMAÇOU uma maquiagem em vez de ESFUMAR. Admito a decepção ao ler aquilo, pois quem faz fumaça com a maquiagem? Ninguém, as pessoas esfumam a maquiagem e um livro que deve passar por vários corretores não deveria ter um erro desses.



     Algo que achei muito interessante foi que a cada abertura de capítulo foram colocados trechos extraídos do Manual de Redação Folha de S. Paulo.



      Eu como leitora do livro procurei o perfil da escritora e mandei um recado de agradecimento, pois adorei a história, mas aproveitei e fiz uma observação sobre o ESFUMAÇAR. Ela me aceitou no perfil, visualizou o recado e enviou uma carinha piscando então achei que ela não tinha lido e enviei um recado perguntando se teria lido e ela respondeu novamente com uma carinha piscando. Como me senti com essa super resposta? Uma idiota decepcionada! haha


       Para não ficar nenhum mal entendido quanto a minha opinião sobreo livro quero que entendam que eu AMEI, me identifiquei muito com a história principalmente, pois temos a mesma idade, amamos a mesma profissão e somos duas estabanadas por natureza! Clique AQUI e terás 22,3mil explicações entre esfumar e esfumaçar.

0 Comentários

Postar um comentário

O Blog TH valoriza muito seus comentários, pois assim trocamos ideias, opiniões e informações! Adoramos suas perguntas e sua participação. Seja honesto e justo, sem nunca esquecer de ser elegante e educado :D